MEDIUNIDADE

“Objetivo maior da prática mediúnica no Espiritismo é persuadir o ser humano para que ele seja, no decorrer do aprendizado evolutivo, médium de sua natureza divina.”                           Allan Kardec

 

Afinal de contas, o que é a mediunidade?

Para simplificar a compreensão, chamaremos a mediunidade de sexto sentido.

Segundo Allan Kardec, esse sexto sentido permitiria a percepção da influência dos Espíritos e poderia ser desenvolvido por qualquer pessoa, já que a mediunidade é uma capacidade orgânica.

Existe um órgão responsável pela mediunidade: esse órgão é a epífise, glândula situada na região centroposterior da área diencefálica do cérebro, constituindo a sede fisiológica de todos os fenômenos mediúnicos.

Assim, conclui-se que todas as pessoas têm a capacidade de perceber a influência dos Espíritos, mas nem todos a desenvolvem durante sua existência.

O sexto sentido ou percepção extrassensorial abrange uma enorme gama de fenômenos, como a telepatia e a vidência, entre outros, e tem como objetivo estabelecer uma ponte para contato entre o mundo físico e o espiritual. Para isso, ele se apresenta por meio de fenômenos de efeitos intelectuais (psicografia, psicofonia, clarividência, clariaudiência, entre outros) ou efeitos físicos (batidas, movimento de objetos, materializações, fenômenos de voz direta etc.).

O Espiritismo diz que é perfeitamente natural a comunicação com os Espíritos desencarnados e vice-versa, uma vez que todos são Espíritos, embora alguns estejam temporariamente encarnados. Essa comunicação se estabelece nos níveis mentais e emocionais e dentro dos princípios da lei de sintonia, ou seja, encarnados e desencarnados se atraem ou se repelem por afinidade e interesses em comum.

Aquele que desenvolve a mediunidade é denominado médium.

Geralmente, os médiuns têm uma aptidão especial para determinado tipo de fenômeno. Disso resulta a formação de tantas variedades quantas são as formas de manifestações. As principais são a dos médiuns de efeitos físicos, a dos sensitivos, a dos audientes, a dos videntes, a dos sonambúlicos, a dos curadores, e a dos psicógrafos:

Médiuns de efeitos físicos: são aqueles aptos a produzir fenômenos materiais, como os movimentos dos corpos inertes ou os ruídos. Podem ser classificados em médiuns facultativos – os que produzem os fenômenos espíritas por vontade própria e são totalmente conscientes do que estão fazendo; e médiuns involuntários – que não possuem consciência e nem mesmo desejo de produzir fenômenos.

Médiuns sensitivos: trata-se das pessoas suscetíveis de sentir a presença dos Espíritos por uma impressão vaga e que podem reconhecer se o Espírito é bom ou mau por meio de sensações mais sutis ou mais pesadas.

Médiuns audientes: são aqueles que ouvem a voz dos Espíritos e podem conversar diretamente com eles.

Médiuns psicofônicos: são os que transmitem as comunicações dos Espíritos por meio da fala.

Médiuns videntes: são dotados da faculdade de ver os Espíritos. Entre os médiuns videntes, há alguns que só vêem os evocados e outros que veem toda a população de Espíritos.

Médiuns sonambúlicos: nesse tipo de mediunidade, o Espírito do médium vê, ouve e percebe os demais Espíritos enquanto dorme.

Médiuns curadores: consiste no dom que certas pessoas têm de curar pelo simples toque, pelo olhar ou mesmo por um gesto, sem o concurso de qualquer medicação.

Médiuns psicógrafos: transmitem as comunicações dos Espíritos por meio da escrita. Esses médiuns podem ser divididos em três categorias: mecânicos, semimecânicos e intuitivos. Os mecânicos não têm consciência do que escrevem, e a influência do pensamento do médium na comunicação é quase nenhuma. Os semimecânicos interferem parcialmente na comunicação. Já os intuitivos recebem a idéia do Espírito comunicante e a interpretam, desenvolvendo-a com os recursos de suas próprias possibilidades morais e intelectuais.

 

 

Fonte: Desvendando Nosso Lar – Luis Eduardo de Souza

12 responses to this post.

  1. Posted by Marly Paulito de Souza on 16/01/2013 at 17:44

    Gostaria de saber sobre trabalho de magia negra,pertence à Umbanda?

    Responder

    • A Umbanda não usa magia. A Umbanda é amor, caridade, perdão. Ela nos prepara para entender “os porquês” de nossa vida. A Umbanda evangeliza e não faz o mau, só o bem, portanto a magia negra não faz parte da Umbanda. Paz e luz em seu caminho.

      Responder

  2. Posted by JANAINA XAVIER on 06/02/2013 at 16:07

    CADA VEZ QUE SE PASSA NESTA LONGA E ETERNA CAMINHADA MINHA,VEJO TUDO TÃO MAIS LUCIDO E COERENTE, PERCEBO O POR QUE QUE PESQUISO ,POIS É SÓMENTE PRA TIRAR CONCLUSÕES DO QUE JA SEI DE UMA FORMA OU OUTRA SEMPRE ME PARECE FAMILIAR SEM TER CONTATO COM ESTUDO TEOLOGICOS E ESPIRITUAIS,CREIO QUE HJ POSSO REFLETIR E VER QUE NÃO TEREI ESCAPATORIA SENÃO USAR O MEU DOM ESPIRITUAL QUE ME PERSSEGUE DESDE ANTES DE EU NASCER,TENHO TODA ESSA EXPERIENCIA ESCRITA POR KARDEC ,SÓ ME FALTA PROGREDIR COM EFEITOS FISICOS POIS O RESTO EU TENHO,NO INICIO ACHEI QUER ERA COISAS CONSEQUENTES MAS AO ME DESENVOLVER VI QUE TENHO UM IMÃ INCONTROLAVEL,PEÇO AJUDA EM ME ORIENTAR POIS TNHO MUITAS DUVIDAS,PARTICIPO DA UMBANDA MAS NAO ENTENDO O QUE VEM ACONTECENDO COMIGO POIS EU TRAGO COMIGO DONS ESPECIAS TANTO NO ESPIRITISMO QUANTO NO ENVANGELHISMO, SAEM ORAÇÕES NAS HORAS CERTAS DE TAL FORÇA QUE A PESSOA PRA QUEM ORO ELA SENTE PROFUNDAMENTE A FÉ, AS VEZES TENHO MEDO EM OLHAR PRA ALGUEM QUE PASSA POR MIM E VEJO SEU FUTURO RUIM,NA MAIORIA DAS VEZES EU ANDO FECHANDO OS OLHOS PRA NAO OLHAR E ORO NA MESMA ORA PRA ACALENTAR-LHE E LHE AJUDAR EM FÉ E ORAÇÃO.
    SAI ASSIM DO NADA, AS VEZES TENHO MEDO ,MAS AS VEZES TENHO O PRAZER EM SENTIR HONRADA COM TANTO PODER DE AMAR O PROXIMO, EM AJUDAR.
    EU GOSTARIA DE TIRAR UMA DUVIDA: SOU VIDENTE,SENSITIVO;AUDIENTE;PSICOFONICA;CURADORA;E PSICOGRAFO;FAÇO REGREÇÃO ESPIRITUAL; JUNTANDO COM A UMBANDA TAMBEM RECEBO GUIAS DE LUZ,AINDA ASSIM TENHO DUVIDAS AINDA VOU ME EVOLUIR MAIS POIS A CADA ANO QUE SE PASSA TENHO UMA NOVIDADE A EXERCER. EU NASCI COM ESTE DOM ,POIS DESDE DE PEQUENA EU JA FAZIA EM TERMOS. POIS MEUS ORIENTADORES SEMPRE FORAM ESPIRITUAIS.
    DESDE JA AGRADEÇO SUA ATENÇÃO. JANAINA

    Responder

    • Oi Janaina, tudo bem com você? Olha a mediunidade não é um dom, é uma missão. A quem muito é dado, muito será cobrado. Acredito que tudo devemos fazer para conviver com nossa missão em busca de ajudar, sempre, todos os que necessitam de nós. O único cuidado que devemos ter é não deixar que os diferentes tipos de mediunidade que possuimos nos torne orgulhosos ou nos dê a idéia de sermos melhores que nossos irmãos. Outro cuidado que devemos ter é nos resguardar dos inimigos espirituais, pois, as vezes nos colocam na posição de obessediados ou fanáticos diante da fé que professamos. É necessário estudar muito, confiar na intuição e saber entender quando a sugestão é de um irmão de luz ou de nossos inimigos espirituais. Paz e luz em seu caminho.

      Responder

  3. Posted by maria de lourdes balbino on 01/06/2013 at 19:48

    Boa noite, Parabéns,
    Que nosso Pai OXALA te ilumine cada vez mais. E que voce continue sempre nos auxiliando. Pois tirei muitas duvidas e estou agora entendo muito dos por-que.
    Muita Paz e Luz.

    Responder

  4. Posted by Paulo Lagoa on 25/11/2013 at 0:02

    Olá Raquelcain, sinto aqui muita paz e você muito luminosa! Obrigado!

    Responder

  5. Posted by flexa on 07/02/2014 at 23:49

    Mais uma vez, perfeito ! … mediunidade não é dom, é caridade … nunca vi tanta habilidade para “acalmar” a vaidade dos “sensitivos” …. mediunidade de cura é um dos caminhos mais preocupantes …. médium de cura pode, como ferramenta da espiritualidade, contribuir na cura ou na melhoria dos males dos irmãos … mas, pela vaidade, pode sozinho promover o fechamento de uma Casa espirita …. fico feliz com sua forma de orientação … parabéns …. Raquel de Ogum …. rsrsrs …. Salve ! flexa ligeira

    Responder

    • OBRIGADA pelas palavras carinhosas meu irmão. Que nosso Pai Ogum esteja sempre ao nosso lado nos defendendo do Dragão da vaidade! Paz e luz em seu caminho!

      Responder

  6. Posted by Altina Fonseca Albuquerque on 27/02/2014 at 14:44

    Comecei a frequentar a umbanda há poucos meses, e tenho muitas dúvidas.
    Tenho um neto de 4 anos e acredito que ele sofra alguma influencia espiritual devido as suas reações. Minha filha o levou a uma casa espírita. Mal entrou no recinto ficou como possuído e não tomou o passe pois não tinha condições. Nesse dia, não dormiu berrava e emitia sons estranhos. Por ser uma criança, gostaria que a senhora me orientasse. No quarto em que ele dorme mantenho o evangelho sempre aberto.
    No Centro que passamos a frequentar o Preto Velho pediu que minha filha marcasse para leva-lo a uma sessão de Operações fluídicas, mas devido o acontecido ela está com receio. O que a senhora me aconselha? Posso acender vela para o seu Anjo da Guarda?
    Desde já agradeço.

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: