Mediunidade é pagamento de débitos.

MEDIUNIDADE É ASSUNTO SÉRIO E NÃO PROFISSÃO.

A mediunidade não é uma arte, não é talento, portanto nunca poderá tornar-se uma profissão.imagesçlo

A mediunidade é uma missão que escolhemos, ao reencarnar, com a finalidade de quitarmos débitos adquiridos em encarnações passadas. DEUS leva em conta o devotamento e os sacrifícios da mediunidade e sente repugnância por aqueles que fazem da mediunidade uma escada, por onde possam subir materialmente. A moral do médium é tudo o que ele possui, não apenas no sentido de cobrar por ela, mas em todo e qualquer abuso, seja no orgulho, na vaidade, no egoísmo e principalmente, no desrespeito às leis de DEUS. A moralidade do médium refletirá diretamente em seu desenvolvimento mediúnico. Uma vez moralmente incorreto, irá cercar-se de espíritos da mesma faixa vibratória e esse fato irá trazer-lhe SÉRIOS TRANSTORNOS em sua vida presente e futura.

 Nunca aceite qualquer retribuição por trabalhos que realizar. Se ocorrer um dia, de vir a ser presenteado por alguém, aceite o presente, para não entristecer quem o presenteia por gratidão, mas explique a este irmão que o melhor presente, para você, é a cura, a transformação e evolução espiritual dos irmãos ajudados.

No tocante ao desrespeito às leis de DEUS, a moralidade do homem está a essas leis diretamente ligadas. O conceito de moral diverge de uma civilização para outra, o que é imoral para uma civilização pode não ser em outra.

Os Umbandistas seguem a doutrina de Jesus Cristo (Oxalá na Umbanda), desta forma o Evangelho Cristão é o Evangelho do Umbandista.

 Jesus expulsou os vendilhões do Templo para deixar como exemplo, que religião não é comércio. Esse exemplo de Jesus se transformou em lei. E a lei uma vez desobedecida causa o aumento de débitos no Karma de seu infrator. Não abuse da pouca liberdade que possui. Nossos Guias espirituais sempre nos transmitem o seguinte ensinamento: DEUS O OBRIGARÁ A CEIFAR AONDE ELE NUNCA PLANTOU. O ensinamento é claro; Deus não nos ensina o mal, porém uma vez praticado o mal, colheremos o resultado de nossos atos através da lei de causa e efeito e o seu consequente aumento do karma (livre arbítrio).

 Um dia todos prestarão contas de todo dinheiro arrecadado em nome de Deus ou de Jesus, sejam eles, médiuns ou pais-no-santo mistificador, pastores evangélicos, padres, rabinos, monges ou outros.  E nessa ocasião, que se expliquem!

 A Umbanda é uma religião tipicamente brasileira. Na verdade, pode se dizer que ela não existe em nenhuma outra parte do mundo. Além do sincretismo clássico entre a herança religiosa africana e o Catolicismo, a Umbanda absorveu elementos do Espiritismo kardecista, de modo que, no decorrer dos rituais, o fiel se comunica com espíritos desencarnados.

O sincretismo entre orixás e santos católicos é muito forte. Eis as principais correspondências:

Euá – Santa Luzia.

Iansã – Santa Bárbara.                                                                    images12

Ibejis – Cosme e Damião.

Iemanjá – Nossa Senhora da Conceição e Nossa Senhora dos Navegantes.

Logum – São Miguel Arcanjo e Santo Expedito.

Nanã – Santa Ana, mãe de Maria, avó de Jesus.

Obá – Santa Catarina, Santa Joana D´Arc e Santa Marta.

Obaluaiê – São Lázaro e São Roque.

Ogum- São Jorge.

Oxalá- Jesus.

Oxóssi – São Sebastião.

Oxum – Nossa Senhora Aparecida.

Oxumaré – São Bartolomeu.

Xangô – São Jerônimo, São João Batista, São Francisco de Assis e São Pedro.

As práticas existentes dentro dos terreiros de Umbanda variam muito.

Alguns demonstram uma ligação mais forte com o Espiritismo, outros se aproximam mais do Candomblé. Possui em comum, a força dos rituais, denominados gira, em que as filhas e filhos-de-santo entoam cânticos e dançam ao som dos atabaques. As cerimônias geralmente acontecem à noite.

Os espíritos que “descem” incorporam-se nos fiéis que estão participando da gira.

Aqueles que “recebem” os espíritos são chamados de cavalos.

Durante a incorporação, o “cavalo” permanece em transe, e quem fala através dele é seu “guia”, ou seja, a entidade espiritual a ele associada.

Para auxiliar os cavalos, existem os cambonos, que ocupam papel relevante na hierarquia do terreiro. Mas a posição mais elevada cabe à mãe ou ao pai-no-santo, que é a pessoa responsável pelos trabalhos espirituais.

Nos terreiros umbandistas, o ponto focal é o congá, altar enfeitado com imagens de Jesus, 20120822_202133

Nossa Senhora e santos católicos que dividem espaço com estatuetas de preto-velhos, caboclos, ciganos, marinheiros e outras entidades espirituais, misturas as flores, velas acesas e colares de contas coloridas, que simbolizam os diferentes santos e orixás.

 Os orixás e as entidades que integram as falanges da Umbanda:

Oxalá:   Cor: Branca / Domínios: Todos os campos da natureza.

OxóssiCor: Verde  / Domínio: As matas.

Xangô:   Cor: Marrom /  Domínio: As pedras.

Ogum:   Cor: Vermelho  /  Domínio: As estradas.

Iemanjá: Cores: Rosa e branco cristalino / Domínio: O mar e as águas em geral.

Oxum:   Cor: Azul / Domínio: As águas doces.

Iansã:  Cor: Amarela /  Domínios: Ventos e Tempestades

Nanã: Cor: Lilás/ Domínio: Lama.

Obaluaiê:  Cores: Preto e branco / Domínio: As cavernas.

Caboclo:  Cor: Verde / Domínio: A simplicidade.

Preto-Velho:  Cor: Branco / Domínio: A sabedoria.janaina (1)

Criança:  Cores: Variadas / Domínio: A pureza.

Exu: Cores: Preto e Vermelho /  Domínio: Os descampados.

Pomba-gira:  Cores: Preto e Vermelho / Domínio: Os descampados.

Exu-mirim:  Cores: Preto e vermelho / Domínio: Os descampados.

Marinheiro:  Cores: Azul e branco /  Domínio: As emoções.

Boiadeiro:  Cores: Marrom e Vermelho /  Domínio: A força bruta.

Cigano:  Cores: Todas do arco-íris /  Domínio: A liberdade.

Baiano:  Cores: Variadas / Domínios: A esperança e a coragem.

Observação: Essas correspondências, embora sejam as mais difundidas, podem sofrer variações em diferentes terreiros.

Oferendas

Quando as entidades que compõem as diferentes falanges estão incorporadas, elas se prestam a aconselhar seus consulentes e a realizar alguns rituais. Nestas ocasiões, utilizam-se dos quatro elementos básicos da Natureza – ou seja: Ar, Terra, Fogo e Água.

É por isso que, muitas vezes, essas entidades solicitam cigarros, bebidas, alimentos. Cada item pedido corresponde a determinados elementos naturais.

Água e bebidas não-alcoólicas: Servem para a cura, pois simbolizam a força, o remédio e o poder gerador.

Bebidas alcoólicas: Pertencem ao elemento Fogo e permitem transmutar as energias.

Cachimbo, charuto ou cigarro: Une o Fogo, a Água, a Terra e o Ar, sintetizando, assim, os elementos de todas as linhas.

                                                               Quimbanda, ou as “linhas de esquerda”

imagesNunca se deve confundir o orixá com as entidades que integram sua Linha de Força.

A questão mais polêmica, sem sombra de dúvida, cerca o orixá Exu.

Ele é uma força da natureza, imaterial e incorpóreo, como os demais orixás.

Dentro da Umbanda, a Hierarquia deste orixá denomina-se Quimbanda, recebendo ainda os nomes de Banda dos Exus e Falange dos Exus.

Na Umbanda, entende-se que este orixá e as entidades que fazem parte de sua falange atuam “à esquerda”. Isso, porém, não significa que sejam de agentes do Mal!

Simplesmente, o orixá Exu – que erroneamente tem sido associado às forças diabólicas do ideário cristão – é uma força complementar às Linhas da Direita. Do mesmo modo que homem e mulher são opostos-complementares, e que tudo no Universo interage e se interpenetra, também as forças da “Direita” e da “Esquerda” se unem e se completam.

As entidades que constituem a Quimbanda são denominadas Exus, Pombas-giras e Exus-mirins. Têm missão cármica definida e trabalham no sentido de evoluir no plano espiritual, exatamente como os integrantes de todas as outras falanges.

Os Exus são responsáveis pelos trabalhos de proteção, além de terem energia vitalizadora e promoverem a desagregação de energias maléficas. Existe aindaPOMBA GIRA CALUNGA um outro papel, muito delicado, que cabe aos integrantes desta hierarquia: é o de liberar o consciente e o inconsciente do fiel que estiver se preparando para desenvolver um trabalho mais ativo no terreiro. As entidades de Quimbanda podem trazer à tona os traumas e os segredos reprimidos – conscientemente ou não – pelo “filho de fé”. Sendo assim, pode acontecer de os “cavalos” que estejam incorporando essas entidades de Esquerda usarem linguajar torpe ou adotarem comportamentos duvidosos. Nestes casos, deve-se entender que aquele não é o procedimento da entidade em si – na verdade, pode tratar-se de uma “faxina” no inconsciente do próprio médium.

É bom ressaltar, porém, que a natureza complexa da missão confiada aos espíritos da Quimbanda os torna bem mais difíceis do que as demais entidades. Sendo assim, é necessário ter muito Conhecimento e, principalmente, Discernimento, para lidar com essas forças.

Anúncios

16 responses to this post.

  1. Posted by Natália Ferreira on 09/08/2013 at 22:42

    Raquel, as cores de Ogum e Oxossi estão trocadas.
    Beijos!

    Responder

  2. Posted by joao paulo on 26/10/2013 at 12:47

    parabenés pela sua missao

    Responder

  3. Posted by Regina Aparecida Fagundes on 18/12/2013 at 22:53

    Sem dúvida, seus ensinamentos são uma benção, tem mais tópicos seus? Como encontrar….obrigada, obrigada,obrigada!

    Responder

  4. Posted by Claudia Dias Salles on 22/12/2013 at 22:58

    Raquel, adorei teu blog,explicações ótimas,muito instrutivo,bonito.Esclarece bastante. Parabéns…Bjim..Claudia Salles

    Responder

  5. Posted by Rogério Rosa on 15/01/2014 at 14:08

    Raquel a humanidade necessita de pessoas como você e, especificamente, pessoas que tenham o interesse em divulgar o verdadeiro sentido da Umbanda em Cristo. Abraço.

    Responder

  6. Posted by Antonio Paulino on 26/02/2014 at 13:00

    muito bom, bastante esclarecedor, parabéns!!!!!!!

    Responder

  7. Obrigada pelas palavras carinhosas. Paz e luz em seu caminho!

    Responder

  8. Posted by leonnahh on 31/03/2015 at 11:12

    bom dia irma iluminada; suas palavras clareiam e nos deixam cheios de esperança;eu também conheço os orixás como forças divinas maravilhosas, fazedoras do bem maior, cheios de amor, luz e paz; é assim que eu vejo a umbanda, uma luz de deus na terra, para nós buscarmos paz e compreensão, e ajudar nossos irmãos; atualmente não faço parte de nenhum centro, pois me decepcionei com as pessoas, que visavam lucros; sentia egrégoras negativas, mesquinhes, escravidão, falta de fé, imposição de obrigações por meio de medo e ameaças; isso não é deus, não é umbanda.
    Oro por todas as pessoas que acham que espiritualidade é instrumento para fins próprios, sem visar o bem maior.desejo a ti irma iluminada muita força para que continues a nos trazer clareza espiritual, esperança e fé.
    Abraços apertados,
    Dani.

    Responder

  9. Posted by elieide neiva on 16/06/2015 at 9:12

    Gostei desta matéria muito esclarecedora respeito todas as religiões mas sou simpatizante do espiritismo ,penso assim também religião não é comercio se assim não fosse jesus não teria nascido em berço de ouro e não em um estábulo.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: