A UMBANDA NA VISÃO DESTA FILHA DE FÉ

Quando fui apresentada à Umbanda me encantei por sua doutrina e pela beleza de seus ensinamentos. E hoje, após tantos anos, sob a luz desta doutrina acredito, com toda convicção, que reencarnei com o espiríto impregnado de amor pela Umbanda. Sem ela eu não saberia como me harmonizar com minha vida e meus semelhantes. Ela é a oportunidade que Olorum me deu para resgatar meus débitos e me harmonizar com o universo. Sem a compreensão espiritual, sem o conhecimento adquirido na Umbanda, eu jamais entenderia a beleza e a grandeza das obras de Olorum.

O preconceito sofrido pela doutrina espírita, em especial a Umbanda, é por parte de espiritos ignorantes e pobre de conhecimento dos mandamentos de Deus e daqueles que não conhecem nem procuram conhecer as bases espirituais desta maravilhosa filosofia de vida.

A Umbanda prega o amor, a caridade, o perdão e o respeito pelo livre arbítrio de cada um, dos nossos semelhantes. O umbandista não é um seguidor do mau ou macumbeiro, é sim, um seguidor das leis de Deus (Olorum) e dos exemplos de Oxalá (Jesus).

Em todas as religiões há aqueles que praticam o bem e aqueles que são voltados para a prática do mau. Os preconceituosos e os ignorantes, da doutrina espirita, costumam demonstrar sua falta de conhecimento espiritual, atacando o espiritismo, tendo como alvo exclusivo os umbandistas. Caluniam e difamam, o que não conhecem, referido-se a Umbanda como religião do demônio, prática de magia negra, bruxaria, culto ao mal, etc…, além de nos responsabilizar pela matança de animais e sacrifícios de seres humanos à prática de magia negra. Difamam a Umbanda e seus seguidores sem conhecerem sua essência, sua doutrina e a maravilhosa filosofia que seus ensinamentos revelam.

Em um terreiro, centro ou casa de umbanda os trabalhos são voltados para o bem, os ensinamentos são no intuito de que se pratique a reforma intima, com a finalidade de se crescer espiritualmente e evoluir.

Com a Umbanda, aprendemos a vivenciar a lei de causa e efeito e entender que só temos o que merecemos. Portanto, é necessário, plantar o bem para receber o bem. Compreendemos que o plantio é opcional mas a colheita é obrigatória.

Nenhuma religião ensina a valorizar a vida e entender os seus “porquês” como a Umbanda. Seus adeptos entendem que só através de uma reforma intima, da aceitação de seus defeitos, da necessidade de corrigir erros passados, de manter o amor, a caridade e o perdão em seu coração é que nos tornamos merecedores daquilo que desejamos e da felicidade que nos está reservada.

Só quem entende e conhece a Umbanda é capaz de compreender a imensidão do amor de Oxalá, para com seus irmãos, e a grandeza de Olurum ao permitir o uso de nosso livre arbítrio, no decorrer de várias encarnações; para pagamento dos débitos praticados por nós em encarnações passadas.

Quem conhece a Umbanda sabe que Ela é o maior presente e a maior oportunidade que Olorum e Oxalá nos deixou para nosso crescimento e evolução espiritual.

A Umbanda só pode ser praticada se for exemplificada pelo amor, caridade, fé e perdão. Deve ser demonstrada muito mais pelos atos do que pelo verbo. Que Olorum (Deus) e Oxalá (Jesus), conceda a cada um de Seus filhos a doce alegria de conhecer a Umbanda.

Sinto-me orgulhosa, feliz e imensamente agradecida a Olorum e Oxalá por permitir que eu reencarnasse sob a Luz da Umbanda e por me agraciar com a sabedoria de aceitar e acatar seus ensinamentos.

Raquel Elcain, em 22 de junho de 2011.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by Cátia on 23/06/2011 at 20:03

    Ê eu viu?? deixei meu comentário na postgem seguinte… um dia aprendo a postar certinho!!!
    Bjo!!

  2. Oi Cátia, obrigada pelo seu carinho.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: